Lebrílopes amigos, vão aparecendo…

Olá, caros visitantes deste blog contestador! Aqui quem vos fala é O Metanerd, trazendo mais uma dessas criaturinhas adoráveis, os cryptids!

O cryptid que “caçei” desta vez foi um bichinho fofinho, para compensar as criaturas bizarras que venho trazendo: O Jackalope!

I. A Criatura

Este é um Lebrílope! Vai encarar?!

O Jackalope, chamado em português de “lebrílope”, é dito como sendo um híbrido de lebre(jackrabbit) com um antílope. A descrição mais usual é a de uma simples lebre com galhadas, mas algumas vão um pouco mais além dizem que a criatura tem tamanho equivalente ao de um antílope, ou mesmo que tem as patas do mesmo!

Esse cryptid é comumente listado como um “fearsome critter”, uma criatura do folclore norte-americano. Uma história de lenhadores usada para deixar espantadas as criancinhas… Mas o fato é que é uma criatura tão fofa, que é costumeiramente apresentada no cenário das histórias infantis!

Dá para notar que o nome da nossa linda criaturinha não passa de um portmanteau dos nomes das criaturas que dizem que gerou o híbrido, não é?! Mas o mais incrível é que essa criatura foi levada tão à sério em outras épocas que até em livros de biologia o nosso caro jackalope já deu as caras!

Até nome científico nosso simpático coleguinha já recebeu: Lepus temperamentalus. Alguns mais fanáticos até chamam o Jackalope de “a criatura mais rara do mundo” e dizem que ele é na verdade o cruzamento de uma lebre com uma extinta raça de veado-pigmeu… E eu me pergunto como essas mulas criam um cryptid para explicar outro! Ah, se eu tivesse uma jaula! (Opa, essa é outra sessão!)

Continuar lendo

Anúncios

Necrópsias by CryptoZoo

A.S.: (ante scriptum, pra quem não entendeu) Eu sei, eu sei, o blog tá parado! Mas eu tou com planos pra deixar o blog mais estruturado, e estou com algumas outras coisas para me ocupar, além do fato de que estive com um problema na internet por um tempo. Quem deu uma olhada no twitter aí do lado percebeu que eu e o @YakuzareD estamos planejando nos reunir para ajeitar os tais “planos” para o blog, e nesse meio período ficaria sem post por aqui. Maaas, porém, contudo, todavia, no entanto, o blog já está a um bocado sem posts, e acho que isso chega a ser injusto com quem gosta do blog e quer ver a gente em ação. Então, sendo eu o membro mais ativo, e “dono” do blog, me encarrego de trazer um post fresquinho direto do forno, para vocês.

O CryptoZoo abre as portas do seu Necrotério!

Galera, quem já leu post anteriores aqui já tá ligado sobre o que é criptozoologia, né? Pois bem. Dentro do imenso e fascinante mundo do estudo das criaturas secretas/fantástica/misteriosas (que eu particularmente adoro chamar de U.M.A. xD), uma das “áreas de estudo” é o do aparecimento de cadáveres de tais criaturas. Alguns se supõe que sejam cryptid’s (ou criptóides, como preferir), outros são completamente desconhecidos, e outros ainda seriam novas sub-espécies.

Mas o que não dá pra negar é que muitos desses “cadáveres” são hoaxes ou virais, ou mesmo simples enganos. Eu andei fazendo uma pequena (sério, pequena mesmo, infelizmente… quem tiver mais casos do tipo, manda para a gente!) e terminei com esse pequeno catálogo de casos de cadáveres que facilmente entrariam para o “Necrotério do CryptoZoo”. Cabe a nós nos encarregarmos de fazer as “necrópsias/autópsias” desses cadáveres, e cabe a você, caro leitor, amigo contestador, dizer se acredita ou não em cada um deles!

Continuar lendo

Olgoi-Khorkhoi – O Verme-da-Mongólia

Agora venho aqui iniciar os posts da categoria “Temporada de caça aos…“, que não é nada mais nada menos do que a categoria que tratará dos mais curiosos e inacreditáveis cryptids [1] inacreditáveis encontrados no estudo da criptozoologia[2].

Para começar essa categoria, vamos logo com um caso relativamente famoso, e igualmente curioso: O Verme-da-Mongólia, chamado também de Olgoi-Khorkhoi (que significa algo como “verme intestino”, em mongol).

O Verme-da-Mongólia é uma criatura de existência ainda não comprovada, que supõe-se que tenha como habitát o Deserto de Gobi, na fronteira da Mongólia com a China. É um cryptid famoso por ter sua exitência muito debatida dentro da criptozoologia, graças aos relatos muito contestados de contatos com a criatura, ou vislumbres da mesma.

Representação ilustrativa do Verme-da-Mongólia feita por Peter Dirkx

Representação ilustrativa do Verme-da-Mongólia feita por Peter Dirkx

A sua aparência lembra a de uma grande minhoca, ou de um intestino vivo, e por isso o nome mongol, “intestine worm”, por vezes confundido com “intestinal worm”, vermes de intestino, que nada tem haver com a criptozoologia.

Relatos mais detalhados da criatura descrevem-na como um verme enorme, entre o,6m e 1,5m de comprimento, com o corpo inteiramente vermelho, com muitos espinhos espalhados pelo corpo, sendo uma criatura venenosa, que seria capaz de espelir ácido sulfúrico pela boca e soltar pequenas descargas elétricas, mas fracas do que as de uma enguia. Também é relatado como uma criatura extremamente agressiva que ataca camelos, cavalos, e até mesmo humanos que estejam passando sobre a superfície do solo onde se encontram.

Continuar lendo