Lebrílopes amigos, vão aparecendo…

Olá, caros visitantes deste blog contestador! Aqui quem vos fala é O Metanerd, trazendo mais uma dessas criaturinhas adoráveis, os cryptids!

O cryptid que “caçei” desta vez foi um bichinho fofinho, para compensar as criaturas bizarras que venho trazendo: O Jackalope!

I. A Criatura

Este é um Lebrílope! Vai encarar?!

O Jackalope, chamado em português de “lebrílope”, é dito como sendo um híbrido de lebre(jackrabbit) com um antílope. A descrição mais usual é a de uma simples lebre com galhadas, mas algumas vão um pouco mais além dizem que a criatura tem tamanho equivalente ao de um antílope, ou mesmo que tem as patas do mesmo!

Esse cryptid é comumente listado como um “fearsome critter”, uma criatura do folclore norte-americano. Uma história de lenhadores usada para deixar espantadas as criancinhas… Mas o fato é que é uma criatura tão fofa, que é costumeiramente apresentada no cenário das histórias infantis!

Dá para notar que o nome da nossa linda criaturinha não passa de um portmanteau dos nomes das criaturas que dizem que gerou o híbrido, não é?! Mas o mais incrível é que essa criatura foi levada tão à sério em outras épocas que até em livros de biologia o nosso caro jackalope já deu as caras!

Até nome científico nosso simpático coleguinha já recebeu: Lepus temperamentalus. Alguns mais fanáticos até chamam o Jackalope de “a criatura mais rara do mundo” e dizem que ele é na verdade o cruzamento de uma lebre com uma extinta raça de veado-pigmeu… E eu me pergunto como essas mulas criam um cryptid para explicar outro! Ah, se eu tivesse uma jaula! (Opa, essa é outra sessão!)

Continuar lendo

Mothman – O Homem-Mariposa

Tem coragem de encarar??

Tem coragem de encarar??

Nesse post venho trazer mais um cryptid muito famoso, e particularmente um dos meus favoritos: Mothman, o Homem-Mariposa! (por vezes traduzido como Homem-Borboleta ou Homem-Traça)

Tanto por sua aparente sapiência, como pelo fato de ser uma criatura assustadora, não o coloquei o post na seção relativa à criptozoologia, mas aos posts assustadores. O post é relativamente extenso, então, boa leitura!

1. Descrição

O Mothman é um cryptids dos mais misteriosos, e também dos mais facinantes. A maioria dos relatos o descreve como um ser com corpo de um homem alto, com asas de mariposa (em alguns casos, dizem “de morcego”) e grandes olhos vermelhos que emitem luz. Existem algumas variações, mas a variação mais estranha é a de que em alguns relatos a craitura não teria cabeça, e os dois grandes olhos vermelhos estariam na altura do peito. Sua aparição está associada ao acontecimento de futuros desastres.

2. História

De acordo com o livro Estranhas Criaturas do Tempo e do Espaço, de John A. Keel, a criatura sobrenatural começou a ser vista em Ohio a partir de 1959, quando sobrevoou muito rapidamente um pátio de uma mulher de um médico. Ela disse parecer tratar-se de uma borboleta gigante e apenas se atreveu a mencionar o incidente para algumas pessoas. O som foi descrito por outras testemunhas em locais e dias diferentes como sendo emitido por um grande rato.

Continuar lendo

Olgoi-Khorkhoi – O Verme-da-Mongólia

Agora venho aqui iniciar os posts da categoria “Temporada de caça aos…“, que não é nada mais nada menos do que a categoria que tratará dos mais curiosos e inacreditáveis cryptids [1] inacreditáveis encontrados no estudo da criptozoologia[2].

Para começar essa categoria, vamos logo com um caso relativamente famoso, e igualmente curioso: O Verme-da-Mongólia, chamado também de Olgoi-Khorkhoi (que significa algo como “verme intestino”, em mongol).

O Verme-da-Mongólia é uma criatura de existência ainda não comprovada, que supõe-se que tenha como habitát o Deserto de Gobi, na fronteira da Mongólia com a China. É um cryptid famoso por ter sua exitência muito debatida dentro da criptozoologia, graças aos relatos muito contestados de contatos com a criatura, ou vislumbres da mesma.

Representação ilustrativa do Verme-da-Mongólia feita por Peter Dirkx

Representação ilustrativa do Verme-da-Mongólia feita por Peter Dirkx

A sua aparência lembra a de uma grande minhoca, ou de um intestino vivo, e por isso o nome mongol, “intestine worm”, por vezes confundido com “intestinal worm”, vermes de intestino, que nada tem haver com a criptozoologia.

Relatos mais detalhados da criatura descrevem-na como um verme enorme, entre o,6m e 1,5m de comprimento, com o corpo inteiramente vermelho, com muitos espinhos espalhados pelo corpo, sendo uma criatura venenosa, que seria capaz de espelir ácido sulfúrico pela boca e soltar pequenas descargas elétricas, mas fracas do que as de uma enguia. Também é relatado como uma criatura extremamente agressiva que ataca camelos, cavalos, e até mesmo humanos que estejam passando sobre a superfície do solo onde se encontram.

Continuar lendo